A Renault não irá comercializar mais o o Fluence

Como funciona a compra para pessoas com deficiência?
18 de dezembro de 2017
Alinhamento e balanceamento das rodas: o que é e por que fazer.
8 de Janeiro de 2018

Os três volumes trazidos da Argentina ainda é comercializado nas versões Dynamique CVT Plus  e Privilège , no entanto, será descontinuado assim que acabarem os estoques de modelos 2017/2017. As informações são da assessoria de imprensa da Renault.

O projeto nasceu como Samsung SM3 na Coréia do Sul em 2009 e chegou no ano seguinte ao Brasil, produzido na fábrica de Córdoba. O nome de aparelho de celular é esquisito, mas a Samsung é uma subsidiária do grupo Renault Nissan e aproveitou os componentes das prateleiras da aliança para fazer uma segunda geração do SM3. Para ser produzido em outros mercados, o carro adotou a marca Renault e foi batizado como Fluence.

Afora o rebatismo francês, da Renault veio a plataforma C usada no Megane dois e três. Já notou que o Fluence e o Megane de terceira geração tem até o interior em comum? Como o Megane RS  acabou não vindo, o Fluence é uma forma de testar por tabela a terceira geração da família no Brasil. Já a mecânica é tipicamente Nissan, o motor 2.0 de 143 cv (a única opção disponível atualmente) e o câmbio CVT sequencial atestam que o carro tem um pezinho no Japão.

Renault Fluence GT Line (Foto: Divulgação)

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Informe seus dados

Informe seus dados